Em tom de campanha eleitoral, prefeito de Anápolis tromba com comércio e ameaça com a polícia

A cidade de Anápolis não deve suspender as atividades econômicas neste momento e, segundo a matriz de risco do Decreto Municipal, permanece em situação de risco leve. O anúncio foi feito pelo prefeito Roberto Naves na tarde desta quinta-feira (25). 

Existia uma dúvida por parte da população e, principalmente dos empresários, com relação a um possível fechamento dos comércios. A possibilidade é descartada pela prefeitura, pelo menos pelos próximos dias, pois a quantidade de leitos de UTI disponíveis para os cidadãos de Anápolis é suficiente para suportar o avanço do Coronavírus no município por enquanto. 
 
Segundo o prefeito, os leitos devem ainda aumentar de 33 para 61 dentro de 15 dias. Embora a quantidade de casos esteja aumentando significativamente, o sistema de saúde, que foi ampliado, está suportando a situação e proporcionando o atendimento necessário aos pacientes.

Outro ponto importante apontado pelo prefeito é sobre uma possível suspensão de apenas alguns segmentos comerciais que não estariam respeitando as normas. Sem citar quais especificamente, o gestor municipal disse que liberou o funcionamento destas atividades após inúmeros pedidos das classes representantes dos mesmos, mas que os acordos feitos com a PM e a Vigilância Sanitária não estavam sendo cumpridos. 

 
“Essa oportunidade foi dada graças ao trabalho da ampliação do nosso sistema de saúde. Só que as pessoas começaram a confundir a oportunidade de trabalho com oportunidade de diversão. Então a tolerância que nós vamos ter com essas pessoas é tolerância zero. Os mesmos que estiveram aqui pedindo uma chance serão mais observados ainda e a qualquer momento nós vamos revogar algumas linhas do decreto. A população de Anápolis não pode pagar pela irresponsabilidade de alguns”, finalizou o prefeito, em tom de campanha eleitoral, em vídeo gravado ao lado de um oficial da PM. 
 
Leia o texto  post ameaçador do prefeito:

“Nós não vamos permitir que pessoas brinquem com a vida das outras. Isto é inaceitável. Portanto, anunciei hoje em coletiva de imprensa que alguns segmentos comerciais estão sendo monitorados nos próximos dias pela Polícia Militar e pela Vigilância Sanitária e, se for necessário, a qualquer momento nós iremos revogar parte do Decreto e impedir o funcionamento dessas atividades. Estamos fazendo o dever de casa na área da saúde e ampliando cada vez mais a quantidade de leitos de UTI. Por isto, a cidade permanece em situação melhor que a maioria dos municípios do país. Mas não vamos aceitar que pessoas aproveitem esta oportunidade para colocar vidas em risco.”