Em risco alto, Aparecida amplia isolamento social intermitente com escalonamento regional

Com o isolamento social intermitente, em funcionamento na cidade de Aparecida de Goiânia, desde 8 de junho, alcançando o cenário laranja/risco alto, começa neste domingo, 05, a aplicação das novas regras dentro deste cenário.

Desta forma, cada macrozona, a cidade foi dividida em 10, fecha duas vezes de segunda a sexta-feira e a cidade inteira fecha aos sábados, a partir das 13 horas, e aos domingos o dia todo. A medida tem como objetivo reduzir o fluxo de pessoas nas ruas e conter o avanço da transmissão do coronavírus na cidade, preservando vidas conforme orienta a Organização Mundial da Saúde.

Este modelo de isolamento social intermitente aplicado efetivamente de forma escalonada – em quatro cenários – verde, amarelo, laranja e vermelho – e por macrozonas – segue Matriz de Risco do Ministério da Saúde, que a cidade adotou para fazer o enfrentamento à pandemia ainda em 22 de abril. Os principais gatilhos para mudança de cenários são a taxa de ocupação de leitos de UTIs e o aumento de contágio entre a população. Nos últimos dias, a taxa de ocupação de leitos de UTIs públicas ficou próximo de 60% e os leitos privados em 100%.

No dia de fechamento da macrozona, entre segunda e sexta, fecham-se até supermercados, padarias e postos de combustíveis. No cenário verde/estável, cada macrozona fechou uma vez por semana de segunda a sexta. No amarelo/moderado, as macrorregiões fecharam também aos domingos. No cenário vermelho, considera-se 14 dias (2 semanas), onde a cidade tem o comércio fechado regionalmente por 10 dias, ficando apenas 4 dias abertos, de modo intercalado. As decisões foram tomadas pelo Comitê de Enfrentamento ao coronavírus de Aparecida, com base em nota técnica da Secretaria de Saúde de Aparecida.

Ampliação de leitos e testagem

Aparecida é hoje a cidade que mais testa sua população em Goiás. Somente nesta semana, a média de testagem diária foi de 900 exames realizados nas três Unidades de Pronto Atendimento (UPA) e no drivethru no Centro de Especialidades, agendado pelo 0800 646 1590. Também nesta semana a Secretaria de Saúde de Aparecida anunciou a implantação de mais de 10 leitos de UTIs no Hospital Municipal de Aparecida (HMAP), em razão de respiradores encaminhados pelo Ministério da Saúde e a contratação de mais de 3 leitos de UTIs no Hospital São Silvestre.

Outros 10 leitos devem estar disponíveis até a próxima semana com doação de 10 respiradores pelo Hospital Sírio-Libanês. Desta forma, Aparecida chega a 150 leitos. Desde abril a SMS vem trabalhando para aumentar o número de leitos para atendimento da população. São 90 UTI´s no HMAP (30 geral e 60 para Covid-19), 6 UTI´s no Hospital Santa Mônica (contratados pela Prefeitura), 20 UTI´s no Hospital São Silvestre (Sendo 3 para Covid-19), 13 UTI´s no Hospital Garavelo (todas exclusivas para Covid) e mais 10 UTI´s no Huapa (Hospital Estadual).

Na segunda-feira, 06, a SMS começa a disponibilizar exames laboratoriais e oxímetros para pacientes do grupo de risco, ou seja, que apresentam maior vulnerabilidade e risco de agravo da doença. Ainda está previsto para o mês de julho a implantação de um hospital de campanha onde hoje funciona o Centro de Especialidades no Jardim Boa Esperança com 86 leitos de enfermaria e três de estabilização.

Números – De acordo com a SMS, até as 17 horas desta quinta-feira, 02, o município já coletou mais de 21,4 mil amostras de material para realização de exames do tipo RT-PCR, que é considerado o padrão ouro para esse diagnóstico. O crescimento da testagem se intensificou nas duas últimas semanas. Somente na terça-feira, 1°, foram realizados mais de mil testes. A Secretaria Municipal de Saúde confirmou mais 134 casos nesta quinta (02) e dois óbitos. Cinco outros óbitos estão em investigação. Confira o atual cenário da cidade:

  • 3.167 confirmados;
  • 2.021 recuperados;
  • 53 óbitos;
  • 1.088 casos ativos.

Confira as taxas de ocupação dos leitos de UTI de Aparecida de Goiânia da rede pública e privada (dados atualizados às 18h):

📊 Taxa de ocupação de UTI Adulto (Geral + Covid-19) – Rede pública – 72%
📊 Taxa de ocupação de UTI Adulto (Geral + Covid-19) – Rede privada – 90%
📊 Taxa de ocupação de UTI Pediátrica – Rede pública – 10%
📊 Taxa de Ocupação de UTI por Covid-19 – Rede Pública – 64%
📊 Taxa de Ocupação de UTI por Covid-19 – Rede Privada – 81%
📊 Taxa de ocupação total (UTI Adulto e pediátrica – rede pública e privada) – 74%

🚥 Risco da pandemia em Aparecida de Goiânia, segundo matriz do Ministério da Saúde: Alto

Portaria – O isolamento social intermitente por escalonamento regional foi instituído por meio da Portaria 035/2020, de 5 de junho de 2020 (https://webio.aparecida.go.gov.br/diariooficial/download/1410), da Secretaria de Saúde de Aparecida. Ele leva em consideração a portaria e nota técnica da Secretaria de Saúde de Aparecida datada de 22 de abril de 2020 que adotou na cidade de Aparecida de Goiânia a Matriz de Risco do Ministério da Saúde. Aparecida adotou no primeiro momento, em março, o isolamento social horizontal, e, com o escalonamento regional, o modelo de isolamento social intermitente.

Exceções -Com o escalonamento regional no cenário laranja as exceções, somente para os sábados, a partir das 13h e aos domingos são: supermercados, farmácias, padarias, postos de combustíveis e delivery de alimentos. Também fazem parte das exceções, os serviços listados no artigo 7º da Portaria 035/2020 de 05 de junho de 2020, que são os mesmos delimitados no escalonamento regional nos dias da semana.