Aparecida registra índice de isolamento social de 49%, aponta plataforma

Aparecida de Goiânia registra índice de isolamento social de 48% no meio de semana e picos de 51% aos fins de semana. Os dados são da Plataforma Big Data Telcos Covid-19. Desde que iniciou o isolamento social intermitente por escalonamento regional, em 8 de junho, até 6 de julho a cidade oscilou entre 43,9% (26/06) e 51,8% (05/07). Na maioria dos dias, foi registrado taxa de isolamento social de 48%. No dia 07/07 o índice estava em 49,2%.

O fenômeno se repete em nível estadual. Conforme a plataforma Telcos Covid-19, entre 18 de março e 6 de julho o maior pico de isolamento social em Goiás ocorreu no dia 29 de março, quando foi registrado 56%, e o menor, em 18 de março, com 40,5%. Nos dias de semana, em nível estadual a taxa de isolamento social é semelhante a realidade de Aparecida.

No dia 16 de junho, uma semana após o início do escalonamento regional, a plataforma registrava 49% de isolamento social em Aparecida. Os números mantiveram uma média, tendo o menor índice registrado no dia 26 de junho, com 43,9%, e subindo para 51,8% no último domingo, data em que foi iniciado o escalonamento no cenário laranja, de risco alto.

A plataforma de monitoramento do isolamento social foi lançada pelas cinco maiores operadoras de telefonia móvel do país e está disponível para prefeituras e governos estaduais. A gestão do prefeito Gustavo Mendanha é uma das primeiras a aderir a plataforma no país. É mais uma ferramenta para auxiliar o Comitê de Enfrentamento ao novo Coronavírus nas tomadas de decisões em Aparecida.

A plataforma oferecida pelas empresas de telecomunicações apresenta dados desde 26 de fevereiro, quando foi confirmado o primeiro caso de novo coronavírus no país. Naquela quarta-feira de cinzas, o índice de isolamento social era de 35,8%. Em todo este período, o menor índice de isolamento foi em 13 de março, quando registrou 31,7%.

Aparecida fez inicialmente 30 dias direto de isolamento social para conter o avanço da Covid-19. O isolamento social horizontal começou em 19 de março e durou até 19 de abril. Neste período, o dia que registrou a maior taxa de isolamento social foi em 21 de abril, com 54,7%, e o menor índice foi em 19 de março, com 37,9%.

Em 22 de abril, o Comitê publica a Portaria 028 adotando a Matriz de Risco do Ministério da Saúde e aponta que, considerando nota técnica da Secretaria de Saúde e a taxa de ocupação dos leitos de UTIs, a cidade encontrava-se no cenário estável/verde e, por isso, apresenta um plano de retomada responsável de 82% das atividades econômicas, a partir de 28 de abril. Entre 28 de abril e 11 de maio – os primeiros 14 dias de retomada das atividades econômicas – a taxa de isolamento social, em média, foi de 48%.

Em 5 de junho, quando o Comitê publica a Portaria 035 adotando o isolamento social intermitente por meio do escalonamento regional, Aparecida registrou 48,6% de isolamento social. De 8 a 30 de junho, quando a cidade já vivia a regra do isolamento social intermitente, a média de isolamento social foi de 48%, atingindo picos de 51%.