“Não é hora de relaxar”, alerta prefeito de Aparecida de Goiânia sobre pandemia

Aparecida de Goiânia passa a dar mais flexibilidade para abertura do comércio na cidade a partir desta quarta-feira (15). A cidade da Região Metropolitana passa a adotar o cenário amarelo, considerado moderado no combate à pandemia de covid-19. Isso quer dizer que os estabelecimentos das macrozonas da cidade poderão voltar a fechar apenas uma vez por semana, além do fechamento de todas aos domingos. Confira abaixo.

A novidade é que restaurantes e academias poderão voltar a funcionar. Ambos com restrição de entrada a no máximo 30% na capacidade. Além da adoção de protocolos sanitários e de saúde, como medição de temperatura, espaçamento entre clientes e uso obrigatório de máscaras no interior dos estabelecimentos.

Feiras livres menores, com menos de 100 bancas, terão permissão de funcionamento diferente do escalonamento. As maiores continuam a fazer revezamento de bancas da fileira par em uma semana e, em outra semana, de bancas da fileira ímpar:

Medidas

O prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha (MDB), considera as ações de enfrentamento à pandemia na cidade bem articuladas. O que é demonstrado pelo retorno a um cenário considerado mais brando. No entanto, não descarta retorno a medidas mais severas para contenção do coronavírus. Tudo depende, segundo o gestor, da participação da população para que os casos não aumentem e a capacidade do sistema de saúde não seja tensionada.

O transporte público é uma grande preocupação. Por isso, Mendanha salienta que trabalha junto com as empresas o uso de transporte próprio específico para os funcionários. Entretanto, há o movimento pendular de quem mora em Aparecida e vai a Goiânia para trabalhar, voltando no fim do dia com uso do transporte coletivo.

“O inteligente do nosso modelo é justamente a análise de área da situação da cidade para avançarmos para um cenário verde, que é mais flexível, ou para o laranja, que é mais restritivo. Isso depende muito do momento da cidade. Fazemos análise diária. Se os estabelecimentos obedecerem às regras, se as pessoas contribuírem, se vermos que o número de doentes e na UTI está reduzindo, flexibilizamos mais. Não é hora de relaxar, nem de baixar a guarda, pois não temos uma vacina”, avalia o prefeito.

Flexibilização

Vigorou por duas semanas, o cenário laranja, de risco alto. Na ocasião, cada macrozona fechava duas vezes de segunda a sexta-feira e todas aos sábados a partir das 13 h e aos domingos o dia todo.

Entretanto, o Comitê Municipal de Prevenção e Enfrentamento à covid-19definiu ser possível o retorno ao cenário moderado. Entre as avaliações feitas pelo comitê está o aumento do número de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), a compra de 40 respiradores e redução do número de casos ativos da doença na cidade.

Segundo o levantamento realizado pelo município, o número de pacientes ativos com a covid-19, ou seja, aqueles que foram infectados pelo coronavírus e ainda não foram recuperados, caiu de 1.121, no início do mês, para 875.

De acordo com o boletim publicado pela Secretaria Municipal de Saúde na terça-feira (14), o município possui 5.012 casos confirmados e 88 óbitos por covid-19. São 4045 pacientes recuperados e 875 ativos. A taxa de ocupação de leitos de UTI está em 75%.

Veja como funciona o escalonamento em Aparecida: