Aparecida: Gustavo Mendanha quer suspensão do escalonamento regional do comércio

Em reunião por videoconferência na tarde desta terça-feira, 04, membros do Comitê de Prevenção e Enfrentamento a Covid-19 de Aparecida, avaliaram o pedido do prefeito Gustavo Mendanha para a suspensão do escalonamento regional no município. No fim da reunião ficou decidido que a Secretaria Municipal de Saúde apresentará uma nota técnica para ser analisada nesta quinta-feira, 06, em nova reunião virtual. Após essa análise, será decidido a suspensão ou não do escalonamento, que dividiu a cidade em 10 macrozonas em junho e foi mais uma das decisões tomadas pela administração municipal para evitar que o sistema de Saúde entrasse em colapso, conforme estudos da SMS.

“Desde o início da pandemia a administração pública está atenta e trabalha diariamente para realizar ações para combater a Covid-19. Após um período de 30 dias da cidade toda fechada, retomamos as atividades econômicas com responsabilidade, seguindo regras rígidas e em junho, dividimos a cidade e começamos o escalonamento regional. Esta forma de isolamento social com o fechamento do comércio por regiões foi muito importante e cumpriu o seu papel. Agora é hora de retomarmos as outras atividades, suspendendo o escalonamento, mas continuando com a guarda levantada, para não termos que voltar e fechar novamente”, disse o prefeito Gustavo Mendanha que enfatizou que fez o pedido, mas que acata todas as decisões tomadas pelos membros do Comitê.

O Comitê de Enfrentamento foi criado em 16 de março, mesmo antes de ter o primeiro caso confirmado na cidade, e é formado pelas secretarias municipais, Ministério Público Estadual, Câmara de Vereadores, Defensoria Pública, OAB subseção Aparecida, Associação de Feirantes, Associação dos Feirantes de Aparecida, Associação Comercial e Industrial de Aparecida de Goiânia (Aciag), Sesi/Senai, Sebrae Regional Aparecida e Federação das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte em Goiás (Femicro-GO). O grupo é coordenado pelo Secretário de Saúde de Aparecida, Alessandro Magalhães.

“Suspender o escalonamento regional não significa deixar de cumprir os protocolos de saúde pública para prevenção a Covid-19. Vamos apenas deixar de fechar uma vez por semana como vinha acontecendo. Mas as regras, como disse, continuam vigorando para cada tipo de atividade. E o escalonamento regional, por macrozonas, poderá voltar se a população não contribuir com as normas sanitárias. Eu tenho convicção que a nossa população tem tomado todos os cuidados, claro que uma parte tem transgredido, mas vamos manter a fiscalização, notificação, multa, cassação do alvará para aqueles que não tiverem cumprindo as regras e diretrizes”, destacou o gestor na reunião.