Deputado Helio de Sousa diz que Marconi revolucionou a saúde pública de Goiás

O deputado Helio de Sousa (PSDB) defendeu nesta terça-feira (4) o legado dos governos do PSDB na Saúde. Médico, ele lembrou que, se hoje o estado está bem servido para enfrentar a pandemia do novo coronavirus, é porque recebeu “investimentos pesados” na infraestrutura hospitalar.
“Marconi promoveu não só um expressivo aumento de leitos, como fez uma revolução na saúde pública de Goiás”, destaca o parlamentar.
O Hospital do Servidor, lembra, que possui capacidade para 240 leitos, foi entregue praticamente concluído pelo governo do PSDB e hoje abriga o HCamp para tratamento dos casos de Covid-19.
De acordo com Helio de Sousa, Goiás hoje é uma referência nacional em saúde graças a este trabalho empreendido pelo governador Marconi Perillo.
“Se não fosse a construção de uma infra-estrutura adequada de saúde nos últimos 20 anos, Goiás teria hoje muito mais óbitos em virtude da pandemia de Covid-19”, pontua.
Helio de Sousa explicou que, em todo Brasil houve uma redução no número de leitos, entre 2011 e 2018. “A pesquisa do Conselho Federal de Medicina (CFM), junto ao Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES), mostra um declínio nacional de leitos no Sistema Único de Saúde neste período, inclusive em Goiás”, sublinha.
“É necessário que esclareçamos vários pontos. O SUS tem gestão plena, municipal, em quase todos municípios goianos”, explica. “Cabe a cada município contratar leitos junto à rede privada ou filantrópica para complementar os leitos públicos do próprio município ou estaduais”.
De acordo com o deputado, os leitos fechados em Goiás são privados, na sua maioria, e filantrópicos. “Pararam de atender o SUS em virtude da baixa remuneração da tabela do Ministério da Saúde”, informa.
Helio de Sousa pontua que o CNES é atualizado pelas gestões municipais. Esses sistema, explica, apresenta “enormes inconsistências e discrepâncias, não correspondendo à realidade.”
O parlamentar lembra que nos governos do PSDB, vários hospitais filantrópicos foram subsidiados com recursos do Fundo Estadual de Saúde para não interromperem o atendimento. Por exemplo, as Santas Casas de Goiânia, Anápolis e Buriti Alegre, a Vila São Bento Cotolengo, o Hospital São Pedro de Alcântara de Goiás e vários outros.
“A partir de 2014, através de um Protocolo de Cooperação entre Entes Públicos (PCEP) assinado com o município de Goiânia, a Secretaria Estadual de Saúde passou a complementar a diária de UTI do SUS, elevando os valores recebidos pelos hospitais conveniados de R$ 400,00 para R$ 1200,00”, informa Hélio de Sousa.
*Legado* – Helio de Sousa enumera os avanços experimentados em Goiás nos governos Marconi e de José Eliton. “Vários hospitais estaduais foram reformados e ampliados neste período: HUGO, HGG, CRER, HMI, HDT, HUANA (construído no governo do PSDB) e mais de 200 leitos (inclusive de UTI) foram incorporados”, diz.
“O HUGOL, inaugurado em 2015, acrescentou 513 leitos (sendo 80 de UTI) ao SUS. O Credeq de Aparecida de Goiânia acrescentou mais 90 leitos para o tratamento de dependentes químicos”, lembra o tucano.
Helio de Sousa destaca que o Hospital Regional de Uruaçu, com capacidade de 240 leitos, foi entregue com 95% das obras concluídas e até hoje não terminadas. “Temos também os hospitais de Águas Lindas e Santo Antônio do Descoberto, com obras muito adiantadas e ainda não concluídas, agregarão mais 250 leitos ao SUS”, frisa.
Helio de Sousa lembra que outros cinco Credeqs em construção acrescentarão mais 450 leitos para tratamento de dependentes químicos. O parlamentar listou todos os leitos deixados pelo governos do PSDB:
CRER – 200 leitos
HUANA – 180 leitos
HUAPA – 120 leitos
HURSO – 120 leitos
HUTRIN – 30 leitos
HUGOL – 513 leitos
CREDEQ Aparecida de Goiânia – 90 leitos HUGO – ampliação de 40 leitos
Em construção
H R Uruaçu – 240 leitos
Anexo HDT – 40 leitos
H R Águas lindas – 130 leitos
H R Santo Antônio Descoberto – 120 leitos HGG – 30 leitos
CREDEQs (Goianésia, Quirinópolis, Morrinhos, São Luiz dos Montes Belos, Itumbiara) –450 leitos