Aparecida de Goiânia realiza 3 pesquisas científicas para o tratamento da Covid-19

 

No enfrentamento ao Coronavírus, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Aparecida de Goiânia iniciou, recentemente, três pesquisas científicas com instituições certificadas. O objetivo é aprimorar a atenção prestada aos pacientes com Covid-19. A iniciativa soma-se às demais ações realizadas no município, desde o início da pandemia, em março deste ano, seguindo diretrizes da Organização Mundial da Saúde (OMS), como a testagem em massa da população para obter diagnósticos precoces, o isolamento dos casos positivos com monitoramento e tratamento adequados, a ampliação de leitos, dentre outras.

O secretário municipal de Saúde, Alessandro Magalhães, que também preside o Comitê de Prevenção e Enfrentamento ao Coronavírus em Aparecida, informa que dois projetos de pesquisa, já aprovados pelo Comitê de Ética Nacional, são realizados em parceria com o Instituto de Ciências Farmacêuticas (ICF), laboratório de bioequivalência e biodisponibilidade com sede local e certificado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA): “Um dos estudos é sobre um antirretroviral que foi avaliado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e que se mostrou muito efetivo in vitro, ou seja, no ambiente laboratorial, então estamos analisando esse tratamento nos pacientes com Covid-19. Já o outro estudo é sobre um medicamento que atua na cascata inflamatória desencadeada pelo Coronavírus”.

Quanto à terceira pesquisa, Alessandro Magalhães explica que “Aparecida de Goiânia foi escolhida por uma empresa de São Paulo, vinculada à pesquisa de células-tronco, para desenvolver, junto ao nosso Hospital Municipal (HMAP), um estudo sobre a Covid-19.” Segundo ele, os estudos são promissores e podem trazer avanços para o enfrentamento à pandemia. “Só conseguimos realizar, até o momento, mais de 66 mil testes do tipo RT-PCR, além de diagnosticar, isolar, monitorar e tratar com eficiência os pacientes ao mesmo tempo em que ampliamos a rede hospitalar porque trabalhamos com amplo embasamento científico. Nada é por acaso, tudo é planejado detalhadamente para evitar mortes e dar mais tranquilidade à população nesse momento tão difícil e desafiador”, enfatiza o secretário.