Alysson propõe gestão com foco nas pessoas: “Chega de oferecer concreto e cimento para as pessoas comerem”

“Se o mesmo grupo político continuar à frente da gestão de Goiânia, ano que vem os goianienses terão apenas concreto e cimento para comer. É um grupo que pensa apenas em obras muitas vezes desnecessárias e, por vaidade, não cuida da nossa gente”. Foi o que afirmou o candidato a prefeito de Goiânia pelo Solidariedade, Alysson Lima, em entrevista à RecordTV Goiás, nesta segunda-feira (26/10).

Alysson pontuou que, enquanto vereador por Goiânia e presidente da CPI das Obras Paradas, fiscalizou mais de cem construções abandonadas. “À época, eram 117 obras paradas em Goiânia travando a cidade. Com o nosso trabalho na CPI, provocamos o retorno do BRT e a conclusão da Maternidade Oeste, no Vera Cruz. Fora isso, pouco mudou até os dias de hoje”, pontuou.

Para o pós-pandemia, o candidato a prefeito enfatizou que faltou planejamento por parte da gestão municipal e faltou também diálogo com a sociedade. “Agora cabe a nós, à frente da prefeitura, fazer esse trabalho de retomada. Vamos quebrar esse paradigma que está enraizado em Goiânia. Vamos cuidar de vidas e não de concreto. Como prefeito, nós vamos romper com essa forma de fazer gestão”, afirmou Alysson.

“A nossa gestão Goiânia será modernizada. Vamos trabalhar para que nos próximos 4 anos ela [gestão] ocupe uma posição de destaque com a maior qualidade de vida acima do eixo Rio-São Paulo”, concluiu Alysson Lima ao pontuar que sua administração será pautada pelo compromisso com o aumento do IDH (Índice de Desenvolvimento Humano).