Volta às aulas deve priorizar estudantes do Ensino Médio que vão fazer Enem

O Comitê de Operações de Enfrentamento (COE) ao Coronavírus em Goiás decidiu nesta quarta-feira (28) que as redes de educação pública e privada em Goiás poderão retomar as aulas presenciais. A medida é válida para todos os níveis educacionais, do infantil ao superior, mas esse retorno não será obrigatório e ficará a critério de cada escola. Independente do retorno, o COE também sugere que as aulas virtuais devem continuar a serem oferecidas.

O COE acredita que Goiás já atingiu os critérios sanitários para retomada das aluas presenciais. Esses critérios são a manutenção da taxa de ocupação de leitos de UTI abaixo de 75% durante quatro semanas seguidas e a taxa de mortalidade pela doença estabilizada em no máximo 15% também por quatro semanas consecutivas.

Apesar da decisão, a medida só valerá depois de a Secretaria Estadual de Saúde (SES) soltar as notas técnicas correspondentes e também a Secretaria Estadual de Educação (Seduc) definir esse cronograma de volta, além de tudo estar previsto em decreto governamental. Para comentar o assunto, o telejornal TBC1 desta quinta-feira (29) ouviu a superintendente de Ensino Médio da Seduc, Osvany da Costa Gundim.

Ela conversou por videochamada com os apresentadores Eva Taucci e Cássio Neves e disse que a Seduc primeiro ouvirá o sindicato de professores, Ministério Público e comunidade escolar para decidir pela volta. Segundo ela, a decisão pode priorizar, num primeiro momento, o retorno dos alunos do 3º ano do ensino médio que estão próximos de realizar o Enem (Exame Nacional de Ensino Médio) e aqueles que não tiveram acesso às aulas pela internet.

(Matéria do site da ABC)