Polícia: morte de advogados em Goiânia foi encomendada por R$ 500 mil

A execução dos advogados Marcus Aprigio Chaves, 41 anos, e Frank Alessandro Carvalhaes de Assis, 47 anos, foi encomendada por R$ 100 mil, se os assassinos não fossem capturados, e R$ 500 mil em caso de prisão. A informação foi confirmada pela Polícia Civil de Goiás nesta terça-feira (17/11).  O crime é investigado pela Delegacia Estadual de Homicídios (DIH). Os advogados foram mortos a tiros no último dia 28 outubro, em um escritório no Setor Aeroporto.

O homem apontado como mandante foi preso nesta terça-feira, em Catalão, na região Sudoeste de Goiás. A motivação, segundo a polícia, seria uma disputa de terras na região de São Domingos.

Os suspeitos de executar os advogados foram identificados e localizados pela Polícia Civil dois dias depois do duplo homicídio. Um morreu durante confronto com a Polícia Militar do Tocantins, enquanto o outro, Pedro Henrique Martins Soares, de 25 anos, foi preso em Porto Nacional (TO).