Novo Hospital das Clínicas da UFG é inaugurado com presença do ministro da Educação

O reitor da Universidade Federal de Goiás (UFG), Edward Madureira, o governador Ronaldo Caiado (DEM) e o ministro da Educação, Milton Ribeiro, participaram nesta segunda-feira, 14, da inauguração do novo Hospital das Clínicas da UFG (HC-UFG), no Setor Universitário, em Goiânia. “Hoje é aniversário de 60 anos da universidade e escolhemos essa data para inaugurar a maior obra da UFG. A unidade está em funcionamento e teremos duas unidades em funcionando até o final do mês”, destacou o reitor ao falar que o processo de mudança já está adiantado e será concluído até o final do ano.

Edward também destacou que a maior parte dos recursos da obra veio do Poder Legislativo. “Tivemos o apoio do Executivo mas a maior parte é de recursos do Legislativo”, pontuou. O reitor frisou ainda que 100% do atendimento é pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

A inauguração é realizada na data em que a UFG celebra os seus 60 anos de criação. Considerado um dos maiores hospitais de universidade federal do País, o novo HC-UFG levou cerca de 18 anos para ser concluído. A unidade conta com 20 pavimentos e 44 mil metros quadrados de área construída, além de auditórios e salas de aula para os estudantes da Universidade que realizam atividades acadêmicas no HC.

O governador Ronaldo Caiado destacou a presença da bancada de deputados federais presentes no evento, e o apoio para a conclusão da obra. “É um hospital que tem a capacidade de oferecer o melhor atendimento do país e de formar profissionais qualificados”, celebrou Caiado. “Seremos referência no Brasil e no mundo”, completou.

A obra contou com investimentos de aproximadamente R$ 150 milhões, dos quais R$ 33 milhões gastos com a aquisição de equipamentos. Do valor total, mais de 90% dos recursos vieram de emendas parlamentares. Como senador e deputado, Ronaldo Caiado colaborou para a construção, ao destinar R$ 2,2 milhões em emendas individuais para o projeto.

Um acordo dos vereadores da Câmara Municipal de Goiânia também possibilitou que a unidade entrasse em funcionamento para atender pacientes com Covid-19. Eles destinaram R$ 19 milhões das emendas impositivas ao HC.