Oposição parou de falar em estradas e está à procura de temas: sinal de que a reconstrução das rodovias já aparece

Em uma nota que passou despercebida há várias edições do Jornal Opção, o editor-chefe Euler Belém observava que a oposição havia caído numa armadilha ao se concentrar no ataque às más condições das rodovias estaduais.

Na nota, Euler dizia que o programa de recuperação de estradas do governador Marconi Perillo era de grande monta e que não faltariam recursos – que inclusive foram levantados com o apoio do Governo Federal (e o governador Marconi Perillo seguidamente tem agradecido à presidente Dilma Rousseff pelo apoio).

A crítica à situação das rodovias, segundo Euler, tinha data marcada para perder a validade, já que o Governo tinha um plano consistente para a recuperação de todas elas. E parece que a data já chegou.

Os principais líderes da oposição não falam mais no assunto. A lenga-lenga de petistas e peemedebistas mudou de foco e hoje parece sem rumo: ora fala-se em questões salariais do funcionalismo, ora em segurança ou saúde, ora na situação financeira do Estado.

De um jeito ou de outro, as estradas saíram do noticiário. Sinal de que o trabalho de reconstrução já está aparecendo – e de fato, neste ano, o Governo do Estado deve totalizar 4 mil quilômetros de rodovias reconstruídas.

Ao chamar a atenção para o tema da malha viária a oposição caiu numa armadilha e contribuiu para dar mais visibilidade para essa conquista, que hoje está cada vez mais positiva, do que qualquer campanha publicitária.