Emprego fantasma de padre vira hit na internet e causa danos irreversíveis à imagem da Assembleia

A notícia esdrúxula e absurda de que o padre Luiz Augusto recebe da Assembleia Legislativa de Goiás há vinte anos sem trabalhar, divulgada pelo jornal O Popular na quinta-feira, virou hit na internet – a exemplo de tantos outros escândalos de corrupção que, a despeito da gravidade, atiçaram a criatividade do brasileiro.

Exemplo disso é esta charge assinada por Celso Boitar, que começou a circular no Facebook. Nela, o papa Francisco pergunta se o padre alega inocência no caso denunciado pelo Pop e o padre diz: ALEGO, que além de variação do verbo alegar é também a sigla de Assembleia Legislativa de Goiás.