Carlos Soares, irmão do ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares, tenta conquistar no tapetão o mandato de vereador que Goiânia lhe negou

O vereador Carlos Soares (PT), irmão do ex-tesoureiro do PT e mensaleiro Delúbio Soares, vai tentar na Justiça a renovação do seu mandato, algo que as urnas lhe negaram na eleição que aconteceu em outubro deste ano. De acordo com reportagem publicada no jornal O Popular nesta terça-feira, o irmão de Delúbio requereu a impugnação das candidaturas dos vereadores eleitos Novandir Rodrigues e Emilson Pereira, do PTN, e de Vinícius Cirqueira e Tiãozinho Porto, do Pros, por suposta violação na cláusula de gênero na formação de chapas proporcionais dos dois partidos.

Se as quatro candidaturas forem impugnadas, Carlos e Edson Automóveis (PTN) conquistariam cadeiras na Câmara Municipal de Goiânia.

A lei determina que 30% das chapas sejam compostas por candidatas mulheres, mas o advogado Dyogo Crosara, contratado por Carlos Soares, afirma que houve fraude porque pelo menos três das mulheres que estes dois partidos apresentaram como postulantes ao cargo de vereadora não obtiveram um único voto.

O advogado do PTN, Colemar Moura, afirma que se trata de “oportunismo jurídico” do irmão de Delúbio, que não conseguiu a vitória nas urnas e agora apela para o tapetão. “Qual a influência do voto que não foi dado no resultado dos vereadores eleitos? Nenhuma. Não ter voto não é crime”, afirma Colemar. “Fraude seria se as candidatas não tivessem autorizado os registros das candidaturas”.