Operários do BRT protestam na Câmara contra calote de Iris nos salários. Vereadores vão à CGU nesta terça

Operários que trabalham na construção do BRT Norte-Sul, em Goiânia, realizam protesto nas galerias da Câmara Municipal na manhã desta terça-feira contra o calote do prefeito Iris Rezende (PMDB) no salário da turma. A prefeitura não paga os trabalhadores há três meses, confirmando a fama que Iris tem de carrasco do funcionalismo público.

Estes servidores vão ao Paço Municipal mais tarde, mas não se sabe se Iris vai recebê-los. A tendência é que não.

Às 15 horas de hoje, uma comissão de vereadores liderada por Alysson Lima (PRB) vai ao prédio da Controladoria-Geral da União (CGU) na Capital nesta terça, às 15 horas, para buscar detalhes sobre a paralisação da obra, que de acordo com o jornal O Popular foi embargada por causa de sobrepreço de R$ 46 milhões. Inicialmente, o BRT estava orçado em R$ 390 milhões.