Reviravolta no BRT: União desmente Iris, diz que Caixa continua fazendo repasses e que não há embargo à obra

A comissão de vereadores que visitou na terça-feira o prédio da Controladoria-Geral da União (CGU) na rua 2, centro de Goiânia, descobriu que é mentirosa a informação que órgãos de fiscalização federal embargaram a obra de construção do BRT Norte-Sul, propagada aos quatro cantos pelo prefeito Iris Rezende (PMDB).

A CGU afirmou inclusive que não existe orientação para que a Caixa Econômica Federal deixe de fazer o repasse dos R$ 390 milhões para execução do projeto e que, ao que consta nos autos da Controladoria, o dinheiro continua chegando aos cofres da gestão do prefeito Iris Rezende (PMDB).

Mas, então, porque a obra está interrompida há mais de 30 dias e porque os operários que trabalham nela não recebem salário há quase quatro meses? Esta é o mistério que precisa ser resolvido. Onde está o dinheiro do BRT em Goiânia? Esta mesma comissão de vereadores organiza agora uma visita à Caixa atrás da verdade sobre os fatos.

Tem cheiro de escândalo no ar.