Agora estudante de Direito, Pulcineli erra análise de lei e comete injustiça com Zé Eliton: vai ter de estudar mais

Fabiana matou as aulas de Direito Eleitoral?

“Se isso não for propaganda eleitoral antecipada, eu preciso estudar mais Direito. Rs”. Foi com esta declaração arrogante que a jornalista Fabiana Pulcineli, de O Popular, criticou a divulgação de um teaser publicitário do vice-governador José Eliton (PSDB) que diz que Eliton é “amigo, destemido e trabalhador”. O vídeo diz, no final “Zé Eliton governador”.

Se o amigo leitor não sabe, Fabiana agora é estudante de Direito. E terá, sim, de estudar mais porque, como mostra a imagem ao lado, o plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), por unanimidade, reafirmou que a conduta de pré-candidato que anuncia a pretensa candidatura e exalta suas qualidades pessoais, sem que haja pedido expresso de voto, NÃO configura propaganda eleitoral antecipada, em atenção ao disposto no artigo 36-A da Lei n. 9.504/1997.

Aliás, Fabiana precisa não só estudar mais Direito, como também Jornalismo. Nota-se a falta que lhe fazem umas horas a mais nos bancos da Facomb quando constata-se que, ao contrário da sua ex-chefe Cileide Alves (que também fez a ilação no Twitter, mas depois corrigiu-a, ainda que de um jeito envergonhado), Fabiana não se deu ao trabalho de corrigir a “informação” – ou desculpar-se, que seria o termo correto.