GBrasil declara aberta temporada de caça às bases eleitorais de Delegado Waldir

Texto publicado no site GBrasil (clique aqui para acessar)

O deputado federal mais bem votado das últimas eleições em Goiás, Delegado Waldir (PR), terá enorme dificuldade para melhorar ou mesmo repetir o seu desempenho em 2018. Além de erros cruciais cometidos nos últimos dois anos e meio, Waldir amarga prejuízo com o avanço de candidatos a deputado federai fortes na região metropolitana de Goiânia, onde concentra-se a maior parte do capital político que ele amealhou em 2014.

Os três personagens que mais devem roubar-lhe os votos no ano que vem são Tayrone di Martino (PSDB), Dona Iris (PMDB) e José Nelto (PMDB). Destes, apenas Dona Iris participou também da eleição passada, mas em condições menos favoráveis do que as atuais. Além de estar como primeira-dama, com o marido sentado na cadeira de prefeito da Capital, Dona Iris também deve herdar os colégios eleitorais de Daniel Vilela – pré-candidato a governador – na Capital e em Aparecida de Goiânia. Com a faca e o queijo na mão, Dona Iris provavelmente fará estrago grande nas urnas e tirará votos de muitos políticos que tiveram bom desempenho na região na eleição passada.

As atenções também estão voltadas para Tayrone di Martino, hoje secretário estadual de Governo, que é o candidato apoiado pela igreja católica em Trindade (leia-se padre Robson). Além do próprio município onde a basílica se situa, Tayrone também sairá bem votado em Aparecida e Goiânia, a julgar pela quantidade de edições do programa Governo Junto de Você, coordenado pela pasta dele, que têm acontecido nestes municípios.

Há de se considerar, por fim, o avanço de José Nelto, pré-candidato do PMDB. Trata-se de um político que participa de disputas eleitorais há pelo menos 30 anos e que conhece como poucos o caminho das urnas. Apesar de ter conquistado bases importantes nos últimos meses, como Catalão, Nelto concentra sua força na região metropolitana. Não esteve na disputa por mandato de deputado federal em 2014 e, desta vez, também causará danos ao projeto político de Waldir.

ERROS
O que se diz com frequência sobre o delegado é que ele não tem uma base geográfica. Tem, antes de tudo, seguidores e fãs nas redes sociais. Se a tese for correta, os riscos que ele corre são igualmente grandes porque a repercussão que o deputado enfrentou por erros cometidos no seu mandato foi terrível. Três episódios merecem destaque: a fuga do plenário durante a votação da denúncia contra Michel Temer (PMDB), a sucessão de equívocos que o afundou na campanha para prefeito de Goiânia e a investida desastrada contra os radares de velocidade nas rodovias goianas.

O pior de todos foi, sem dúvida, o sumiço dele no dia da votação da denúncia contra Temer no plenário da Câmara. Nas redes sociais, ele disse que faltou à sessão porque um parente morreu, mas pouca gente acreditou na historinha. Dias depois, o jornal O Popular publicou reportagem com a informação de que Waldir sumiu por ordem da cúpula do PR, que prometeu revelar detalhes bombásticos sobre a arrecadação de recursos financeiros para campanha dele a prefeito. Estes detalhes nunca foram revelados.

A candidatura a prefeito também foi um erro, porque expôs a falta de consistência da sua narrativa e o revelou como um político populista, adepto do xingatório e do discurso de terra arrasada – que, por coincidência, hoje embala o projeto eleitoral do seu aliado e senador Ronaldo Caiado. Waldir começou a eleição com mais de 30% das intenções de voto. Terminou com pouco mais de dez. Foi um vexame.

A mais recente derrapada da sua breve carreira política foi a investida contra os radares instalados em rodovias estaduais goianas para flagrar motoristas infratores e punir o excesso de velocidade. Contra máquinas que têm reconhecida importante na preservação da vida no transito, Waldir tentou imputar a pecha de instrumentos de arrecadação do governo. Não colou, é claro. Seus próprios seguidores inundaram com críticas o seu perfil no Facebook. O tiro saiu pela culatra.

Pouco há para se fazer diante estrago tão grande que Delegado Waldir causou a sua própria imagem nos últimos anos. Há algum tempo, ninguém acreditaria na possibilidade de ver a reeleição do deputado ameaçada em 2018. Mas tantos foram os erros que é isto o que acontece.