Mais um absurdo da gestão Iris: secretaria de Educação proíbe uso da palavra “déficit” para esconder falhas na rede

Denuncia o Jornal Opção: “No último dia 14 de novembro um ofício, chamado de Circular 29, chegou às unidades de ensino do município e tem causado polêmica entre os servidores que consideraram alguns pontos do documento como anti-democráticos. O ofício, segundo servidores, teria o mesmo caráter das Diretrizes da Educação Municipal de Goiânia, mesmo sem ter sido aprovado pelo Conselho Municipal de Educação (CME).

Nele, a secretaria proíbe, expressamente, o uso da palavra “déficit” nos documentos preenchidos pelas unidades escolares. A eleição de coordenadores pedagógicos também sofreu mudanças e passa a depender do crivo da Secretaria Municipal de Educação e Esportes (SME). Além disso, a reorganização da carga horária para professores de inglês e de educação física também tem causado polêmica e críticas à gestão”.

É mais um absurdo da gestão Iris Rezende em Goiânia.

Veja a matéria na íntegra e cópia do documento