Diante da omissão de Iris, agrava-se crise na Saúde: vereadores pedem prisão da secretária Fátima Mrué

Veja matéria publicada no sire do Jornal Opção:

A Comissão Especial de Inquérito (CEI) que apura o caos na Saúde em Goiânia engrossou o discurso contra a gestão do prefeito Iris Rezende (PMDB) na manhã desta segunda-feira (4/12) e aprovou requerimento que pede, inclusive, a prisão da secretária Municipal de Saúde, Fátima Mrué.

Os vereadores ficaram revoltados com a ausência do superintendente de Gestão de Redes de Atenção à Saúde, Adriano Augusto Peclat de Paula; e a gerente de Saúde Bucal do Município, Ana Paula Nomelini Marques da Silva Vianna.

O objetivo da convocação era esclarecer a falta de insumos para atendimentos odontológicos na capital, que não estão sendo realizados há mais de nove meses, segundo denúncias dos próprios profissionais que trabalham na rede. E não é por falta de dinheiro: o Ministério da Saúde tem repassado os recursos normalmente, R$ 200 mil ao mês.

Ante à situação, foram aprovados por unanimidade requerimentos da vereadora Dra. Cristina (PSDB) para que a gerente e a titular da Secretaria Municipal de Saúde sejam denunciadas por omissão.

“Solicita que seja tomada providência judicial urgente por omissão por parte de Ana Paula Nomelini Marques da Silva Vianna e da secretaria de Saúde Fátima Mrué, por mutilação com sequela permanente a paciente, inclusive com consequente pedido de prisão”, versa o requerimento.

Por um erro técnico, Vianna se negou a ir à comissão: segundo resposta, o documento que a intimava dizia que ela era médica, porém sua profissão é odontóloga. Já o superintendente sequer mandou uma justificativa, pois teria pedido demissão do cargo.

Os vereadores decidiram ir à delegacia de polícia, ao Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) e ao Ministério Público Federal (MPF) fazer a denúncia.(Jornal Opção)