Pintou fumaça: professores abrem agenda de protestos pelo piso salarial em Goiânia

Acaba de surgir novo foco de desgaste para o prefeito Iris Rezende (MDB): professores da rede municipal o acusam de fazer ouvidos moucos aos pedidos para que discuta o reajuste salarial, que deveria ter sido concedido no começo deste mês de janeiro.

O sindicato da categoria (Simsed) enviou ofício ao secretário da Educação, Marcelo Ferreira, cobrando o pagamento do Piso Nacional do Magistério, mas não houve resposta até agora.

“Se os trabalhadores do município não se mobilizarem, não ocorrerá o pagamento do piso dos professores”, diz manifesto publicado no site do Simsed.

Veja um trecho emblemático do post:

No ano passado, diferente da opinião de muitos que creem que a prefeitura pagou o Piso de boa vontade, foi somente com a pressão da greve, enfrentando guarda municipal e toda a repressão do irismo, que forçou a prefeitura a cumprir com esse direito básico. Nesse ano, se não houver pressão organizada por parte dos trabalhadores, o prefeito Iris vai dar o calote, pois na versão da SME e da prefeitura, esses já pagam 7% acima do Piso Nacional e como nesse ano o reajuste do Piso foi de 6,81%, eles podem muito bem alegar que já estão dentro da lei. Vamos ficar atentos e nos mobilizar contra o calote.