Joaquim Barbosa desiste de disputar Presidência da República

O ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa anunciou em sua página no Tweter, nesta terça-feira (8), a decisão de não disputar o cargo de presidente da República.

Ele não explicou por que não vai disputar, citando apenas motivo “estritamente pessoal”. Apesar de ser apontado nas pesquisas como um dos pré-candidatos mais competitivos, à volta de 10% das intenções de voto, ele disse na mensagem que adotou a decisão “após várias semanas de muita reflexão”.

A hesitação é uma das características marcantes de Barbosa, segundo seus amigos, mas após a filiação ao PSB considerava-se sua candidatura praticamente certa. Sua entrada no partido proocou a saída de um filiado ilustre, o ex-ministro da Defesa Aldo Rebelo, ex-PCdoB, que pleiteava a candidatura presidencial pelo partio. Rebelo hoje é pré-candidato pelo Soidariedade.

O governador de São Paulo, Márcio França, que é filiado ao PSB, não se surpreendeu com a desistência de Joaquim Barbosa, mas achava que ele poderia contribuir com o processo democrático com uma candidatura a vice-presidente, por exemplo. França considera, todavia, que o minstro aposentado do STF não não adaptaria à “máquna de moer carne” da política.