Além de Goiânia, Baldy toca obras de mobilidade em pelo menos 6 cidades

A chegada de Alexandre Baldy ao cargo de ministro das Cidades coincidiu não só com a retomada da construção do BRT de Goiânia, que estava paralisado desde o começo de 2017. Baldy toca grandes obras de mobilidade em pelo menos outras 6 cidades, como Salvador, São Paulo, Rio de Janeiro, Campinas, São José dos Campos e Aracaju.

Por causa da ligação que tem com Goiás, o projeto do BRT de Goiânia foi um dos primeiros a serem destravados pelo ministro. Em menos de 100 dias no cargo, Baldy garantiu os mais de R$ 200 milhões que faltavam para terminar a obra contornou os obstáculos que a emperravam na Caixa Econômica Federal e no Tribunal de Contas da União (TCU).

Em Salvador, o ministério das Cidades investiu mais de R$ 350 milhões na construção do metrô. Uma das suas estações, a Aeroporto, foi inaugurada me março. Em São Paulo, Baldy participou de obras na linha 9 da CPTM. Em São José dos Campos, no interior paulista, o ministro colabora com o projeto de construção do BRT, inicialmente avaliado em R$ 800 milhões.

Na cidade de Campinas, também em São Paulo, Baldy investirá R$ 90 milhões para um trecho do BRT com três corredores: um liga o Centro da cidade ao distrito do Campo Grande; outro liga o Centro ao distrito do Ouro Verde e o terceiro, chamado de Perimetral, interliga os dois corredores, totalizando cerca de 36 km de coredores.

Em Aracaju, Baldy destinou R$ 130 milhões para o Plano de Mobilidade Urbana da cidade. O dinheiro está sendo utilizado no recapeamento de quatro corredores, recuperação de terminais e abrigos de ônibus, substituição de semáforos e na montagem de uma central de inteligência no trânsito.