DM: Andrey era esperança de renovação, mas descambou para a velha política

O jornal Diário da Manhã deste domingo analisa os desmembramentos das articulações políticas para a escolha do novo presidente da Câmara de Goiânia, marcada para dia 4 de dezembro, e relata que a candidatura de Andrey Azeredo (MDB) à reeleição naufragou porque o emedebista era uma esperança de renovação que se revelou integrante da velha política.

“Os vereadores em primeiro mandato são maioria no Grupo dos 21 e vistos como a revelação da Câmara de Goiânia nesta legislatura. Por isso mesmo, Andrey Azeredo, que entrou na esteira da renovação do Legislativo, é muito criticado por sua postura de alinhamento automático ao casal Iris”, afirma a coluna Fio Direto, referindo-se ao prefeito Iris Rezende e a primeira-dama e candidata derrotada a deputada federal Iris Araújo, ambos do MDB.

A coluna informa ainda que a candidatura de Andrey à reeleição não é cogitada pelo Grupo dos 21 Vereadores porque “para o novo grupamento, a Casa tem de ser autônoma, ter vida própria e fiscalizar de perto os atos do Executivo”.