Dicionário de Caiado e da supersecretária só tem cinco palavras: demitir, cortar, reduzir, arrochar e privatizar

Schmidt disse ao programa Papo Político, da CBN, que, no que depender dela, vai privatizar a Saneago, a companhia estadual de águas e esgotos do Estado, uma das mais rentáveis e mais sólidas do país. Mais: disse que essa é a cartilha dela e do superministro da Economia, Paulo Guedes, seu guru e padrinho.

“Não é decisão só minha. Se fosse, (a Saneago) estaria (privatizada). Sou pró-privatização. Quem tem a vertente liberal, como eu e também o ministro Paulo Guedes, quer um Estado menor e mais eficiente”, disse ela.

São palavras de interventora federal. De fato, é fácil cortar, reduzir e privatizar na casa dos outros, já que ela não tem ligação alguma com Goiás.