Lenços no pescoço usados por Ana Carla e Cristiane Schmidt são peças cafonas, analisa personal stylist

Além de afinarem sobre o receituário fiscalista que defendem ardorosamente para equilibrar as contas do governo do estado, as damas de ferro Ana Carla Abrão e Cristiane Schmidt têm algo mais em comum do que o madeixas loiras, a cartilha da Escola de Chicago e o linguajar rebuscado de termos técnicos de Economia.

As duas economistas são adeptas de lenços de seda pura com estamparia regalada amarrados no pescoço, cujo acessório virou ícone da moda no passado com as divas hollywoodianas Grace Kelly e Audrey Hepburn.

Mas há uma má notícia para elas, fulmina um personal stylist ouvido pelo Goiás 24Horas: os lenços – especialmente os de cores fortes, como o vermelho – não são tendência e definitivamente estão fora de moda neste verão de 2019.

O acessório vive momento down e foram atirados para o fundo do armário pelos consagrados estilistas das passarelas nacionais e internacionais.

Usado na cabeça, nas bolsas e mesmo como cinto, o adereço pode demonstrar personalidade e ser ocasionalmente fashion.

Mas usado como gargantilha, como fazem Ana Carla Abrão e Cristiane Schmidt, é uma rematada cafonice.