Nova Câmara: reforma administrativa não aumenta gastos e fortalece Legislativo

A proposta de reforma administrativa da Câmara de Goiânia apresentada pela nova mesa diretora não aumenta os gastos e fortalece o Poder Legislativo da capital. O objetivo central da reestruturação é aperfeiçoar a estrutura jurídica da Casa e dos gabinetes dos vereadores, melhorando a qualidade da ação legislativa, ou seja, o atendimento às demandas da população.

“A reestruturação será feita inteiramente com recursos da própria Câmara, com o duodécimo a que o Poder tem direito e vamos compensar parte do impacto com a redução de outros custos, como combustíveis”, disse o presidente do Legislativo, Romário Policarpo, à coluna Giro do jornal O Popular. O presidente afirma que, em função disso, o impacto das mudanças, de apenas 3,46% sobre o orçamento deste ano, deve ser ainda menor.

Com a reestruturação, a Câmara de Goiânia amplia sua capacidade de fiscalização das ações da Prefeitura e melhora o atendimento à população. Entre os resultados, está a redução do número de projetos inconstitucionais e de vetos do Executivo a projetos de autoria dos vereadores. Os vetos obstruem a pauta de votação e atrasam a apreciação de matérias de interesse da população.