Aumento da tarifa de ônibus é baseada em caixa-preta, ou seja, em planilha de custos que ninguém viu

O requerimento do vereador Geovani Antônio (PSDB), solicitando as planilhas das empresas de ônibus que justificaram o aumento da tarifa para R$ 3 – uma das mais altas do Brasil-, toca em assunto delicado: essas planilhas, que ninguém viu, são manipuladas pelas empresas e podem não estar passando por uma avaliação técnica adequada.

Em linguagem popular: as planilhas de custo são a caixa-preta do transporte coletivo em Goiânia e precisam ser abertas ao conhecimento da sociedade.

O prefeito Paulo Garcia, que não tem o hábito de prestar satisfações ou ouvir a população sobre as decisões da Prefeitura, foge desse assunto – planilhas – como o diabo da cruz.

Mas, é seu dever liberar essas planilhas para análise dos interessados, o mais urgentemente possível.

Tem coelho nesse mato.