Após criticar reforma administrativa da Câmara de Goiânia, Andrey tem obrigação moral de rejeitar novos cargos


ADepois de criticar a reforma administrativa proposta pelo presidente Romário Policarpo (PROS) e endossada por 31 dos 35 vereadores da Câmara de Goiânia, o vereador Andrey Azeredo (MDB) tem a obrigação de rejeitar os benefícios da nova estrutura caso ela seja aprovada pelo plenário.

A proposta visa fortalecer a ação legislativa, com reforço do assessoramento jurídico do plenário, da mesa diretora e dos gabinetes, maior transparência dos atos da Casa e mais proximidade com o cidadão da capital. Andrey será beneficiado diretamente pelas mudanças, entre outras coisas com o direito à nomeação de um assessor jurídico para auxiliá-lo em sua atuação parlamentar, que aliás é pífia.

Já que Andrey é contra a modernização da Câmara de Goiânia, para que ela continue agachada ao prefeito Iris Rezende (MDB), ele tem a obrigação moral de rejeitar as novas funções, caso aprovadas. Vamos acompanhar e cobrar a coerência do vereador irista.