Grandes governos deixam obras e ideias, como Marconi, Pedro Ludovico e Mauro Borges. Caiado indica que não vai deixar nada

Os grandes governos entram para a história construindo grandes obras e edificando grandes ideias capazes de transformar para sempre a vida dos cidadãos. Em Goiás, três ciclos de governadores deixaram marcas incontestáveis para o desenvolvimento econômico e humano: Marconi Perillo, na era atual; Mauro Borges, na transição de Goiás para a era moderna; e Pedro Ludovico, responsável, na prática, pela fundação do Estado.

Os 40 primeiros dias de Caiado mostram que dificilmente ele entrará para esse rol seleto de estadistas. Mais de um mês depois de tomar posse, o “novo” governador não apresentou nenhuma novidade administrativa, não tem uma plataforma para o futuro, não consegue descer do palanque eleitoral e mantém os olhos voltados para o passado, pautado pelo ódio pelo ressentimento.

Os governos que deram certo tiveram líderes que comandaram fazendo alianças e construindo pontes, que exerceram o mandato com otimismo e alegria, criando um círculo virtuoso de determinação, dedicação e, principalmente, de trabalho. O rancor de Caiado leva Goiás para trás, fazendo com que o Estado vá perdendo aos poucos, e de forma melancólica, suas grandes conquistas.