Presidente do Sinpol, Paulo Sérgio Araújo era um leão com Marconi. Hoje é um gatinho

De dezembro de 2018 para janeiro de 2019, não foi só o governo de Goiás que mudou. O comportamento de Paulo Sérgio Alves de Araújo, presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Goiás (Sinpol), também. 

Paulo Sérgio, que era um leão na época de Marconi Perillo (PSDB) e José Eliton (PSDB), virou um gatinho e age como se cego fosse às maldades impostas pelo governador Ronaldo Caiado (DEM) à Polícia. Ele não deu nenhuma palavra até agora sobre a manobra para reduzir o salário dos servidores, sobre o corte na carga horária, sobre o descumprimento da promessa de acabar com a 3ª classe e a transferência arbitrária de delegacias de um prédio para outro. 

Também pudera: Paulo Sérgio é marido de Keithe Amorim, suplente de deputada estadual do PSL, que está na base de Caiado.