Paulo do Vale afunda prefeitura e coloca Rio Verde no pódio das três piores gestões dos municípios de Goiás

A gestão do prefeito Paulo do Vale (MDB) passa pelo seu pior momento em Rio Verde. Relatório do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) revelou déficit de quase 60 milhões de reais nas contas do município em 2018. Vale foi um dos líderes da dissidência que rachou o MDB para apoiar a candidatura de Ronaldo Caiado a governador de Goiás.

O rombo financeiro, de acordo com o TCM, rendeu a Rio Verde o desonroso segundo lugar no ranking das três piores gestões no quesito financeiro entre os 246 municípios goianos, comparando-se a receita arrecadada e as despesas empenhadas.

Segundo reportagem de O Popular deste domingo (17), que publicou os dados do TCM, a receita arrecadada de Rio Verde em 2018 somou 793,5 milhões de reais e as despesa empenhadas totalizaram 858,8 milhões de reais, apurando-se um resultado negativo de R$ 59.3 milhões de reais.

O TCM aponta que a falta de planejamento, má gestão e desequilíbrio fiscal são as causas da bancarrota de prefeituras como a de Rio Verde, que é uma das maiores economias dos municípios de Goiás.