Mauro Rubem, presidente da CUT-Go: reforma da previdência de Bolsonaro destrói um sistema solidário e cria a capitalização individual

De acordo com os organizadores do movimento de protesto realizado hoje em Goiás, a reforma da previdência destrói a atual previdência social e solidária, e cria o sistema de capitalização individual. “Se hoje as aposentadorias são custeadas pelos trabalhadores, patrões e governos, com essa mudança, o trabalhador, muito provavelmente, contribuirá sozinho para aposentadoria. Sem garantia de benefício do futuro. O objetivo não é melhorar o sistema atual, na verdade, só querem levar o dinheiro da aposentadoria para os grandes grupos econômicos e os banqueiros”, explica o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT) em Goiás,  Mauro Rubem.

Outros benefícios, como aposentadorias especiais, por invalidez, auxílio doença, acidente de trabalho, salário família e salário maternidade, podem deixar de ser pagos pagos no sistema de capitalização.