Dona Brasília, decana da Seduc, está entre os servidores pressionados por Gavioli a voltar para escola; clima é de revolta na Educação

Entre os servidores que estão na lista de perseguidos da secretária forasteira da Educação, Fátima Gavioli, está Dona Brasília, que há vários anos, em função da idade, trabalha na portaria da Seduc.

Ela é considerada patrimônio da secretaria, tanto pelos serviços prestados quanto pela geração de secretários e superintendentes para quem trabalhou com muita presteza e dedicação nos últimos 35 anos.

Agora, Gavioli quer que Dona Brasília volte para a sala de aula. A inclusão da servidora na lista dos que estão sob pressão da secretária aumentou ainda mais a indignação do time da Seduc.
Dona Brasília pediu aposentadoria, apesar de não querer. Os R$ 500 do auxílio-alimentação são imprescindíveis para ela.

Conforme o blog revelou, a pressão da secretária forasteira é para liberar cargos de direção e, em seguida, destiná-los à nomeação da legião de afilhados políticos que Gavioli trouxe, na mala, de Rondônia.