Colapso na Saúde: alegando falta de pagamento do governo Caiado, mantenedora do Huana não paga fornecedor e atendimento pode parar na próxima semana

Alegando falta de pagamento da parte do governo Caiado, a Fasa, que administra o Huana, pode suspender o atendimento na próxima semana. Os problemas são muitos. A locadora  ameaça retirada de equipamentos de informática que emitem laudo de tomografia.

Fasa , gestora do hospital desde a inauguração em 2006, não renovou contrato e vai entregar gestão do hospital em 90 dias.

Governo estadual afirma que repasses para instituição estão em dia e que está selecionando nova OS para assumir a unidade hospitalar.
A empresa Adven Comércio, Locação e Serviços Ltda, que fornece equipamentos de informática para o Hospital de Urgências de Anápolis (Huana), informa que está há sete meses sem receber pelos serviços prestados à Fundação de Assistência Social de Anápolis (Fasa), organização social gestora da unidade hospitalar. O fornecedor informa que já notificou a Fasa e que vai retirar os equipamentos locados no prazo de 30 dias.

A Secretaria Estadual de Saúde (SES) informou para a reportagem que não houve acordo com a contratada para seguir na gestão do hospital e a parceria será encerrada. A SES informa também que as obrigações financeiras estão em dia com a Fasa e que no acordo ficou estabelecido que a instituição fica no Huana até maio de 2019, prazo necessário para que o governo estadual escolha outra Organização Social (OS) para gerir a unidade.

Ocorre que o atraso do pagamento de fornecedores por parte da Fasa está gerando apreensão nas autoridades e, principalmente, na população de toda a região central do Estado, já que o hospital de urgências pode sofrer paralisações.

A Adven fornece a quase totalidade de computadores, incluindo o técnico responsável, bem como impressoras e monitores de TV instalados no hospital. Inclusive a impressora que imprime os laudos da tomografia. “Sem os equipamentos, fica impossível manter os atendimentos do hospital”, afirma uma servidora que preferiu não se identificar.

A Fasa, que está na gestão da Huana desde 2006, ano de inauguração da unidade, e que é também a mantenedora da Santa Casa de Anápolis, passa por dificuldades financeiras desde meados do ano passado.

(Com informações do Café com Pimenta)