Segunda fase da Decantação foi motivada por interesse pessoal do delegado da PF para promoção midiática, dizem advogados

Os advogados Rodrigo Rizzo, João Carlos Tomás, Daniela Campos e Tatiana Nolasco, que compõem a governança corporativa da empresa Sanefer, acreditam que a segunda fase da Decantação foi motivada por interesse pessoal do delegado da Polícia Federal Charles Lemes. A alegação dos advogados é de que Charles Lemes estaria usando a operação para promoção midiática.(Texto Jornal Opção)