Promotor precisa de atendimento e diz que até médicos “cubanos, da China ou do Butão” servem

Fernando Krebs, promotor estadual, deve ter precisado de atendimento médico – ou para ele ou para alguém do seu interesse – nesta sexta-feira de feriado prolongado em Goiânia e não encontrou.

Ele desabafou no Twitter, reclamando que os médicos “sumiram de Goiânia” por causa do feriado e que, por isso, é um absurdo ficar contra a importação de” médicos cubanos, da China ou do Butão”.

O Governo Dilma prepara um chamamento para médicos estrangeiros, os quais serão dispensados de fazer exames de capacitação técnica para atuar no Brasil. Alô Krebs: a legislação existe que, para trabalhar em plagas brasileiras, médicos não formados no país são obrigados a fazer o Revalida, que é um exame de autenticação do diploma obtido no exterior.

Em um dos posts, o promotor mostra que, além de médico, precisa também de um professor de português. Ele usou o verbo “discriminar”, na primeira pessoa, como “descrimino”.

Veja os posts do dr. Krebs:

 

Fernando A. Krebs @promotorkrebs

Hospital da Unimed lotado, parece CAIS. Os médicos sumiram de Goiânia, depois do feriado. Não tem médico, nem para remédio.

E ainda tem gente querendo impedir a vinda de médicos cubanos, para mim, podem trazer da China, do Butão, sem médico não dá!

Não descrimino cubanos.