Gustavo Mendanha dá show de gestão e Aparecida registra superávit em meio a crise econômica que atinge municípios

Ao contrário dos municípios que enfrentam uma severa crise econômica e encontram dificuldades até mesmo para pagar a folha do funcionalismo público, o prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha (MDB), dá exemplo de gestão, equilíbrio fiscal  e investimentos.

De acordo com números divulgados pela prefeitura de Aparecida, a boa situação fiscal da cidade é atestada pelo Tesouro Nacional que deu nota A  para  estimativa da capacidade de pagamento (capag) do município.

Neste mesmo sentido, a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) colocou Aparecida como a 21ª cidade no Brasil com a melhor situação fiscal, a primeira em Goiás e no Centro Oeste.

A receita de Aparecida tem crescido de forma significativa nos últimos anos. O recorte da última década mostra um crescimento de quase 300%, saltando de R$ 300 milhões para mais de R$ 1 bilhão.

Nos últimos quatro anos, 15 mil novas empresas foram criadas, número que é refletido na geração de empregos: em 2018, Aparecida foi o segundo município que mais gerou emprego no Brasil.

Com superávit consolidado, o prefeito Gustavo Mendanha vai fazer novos investimentos na cidade da ordem de R$ 400 milhões. “Deste total, R$ 180 milhões são de recursos próprios, dos quais R$ 120 mihões já estão em caixa para investimentos nos próximos dois anos”, sublinha Mendanha,

Ainda de acordo com ele, cerca de R$ 180 milhões são relativos a novos financiamentos – um deles, de mais US$ 35 milhões, foi contraído junto ao Banco Andino para construção dos eixos estruturantes da Região Oeste da cidade.

Diminuição de impostos – “O prefeito Gustavo Mendanha tem uma característica que o diferencia da grande maioria dos políticos, a sede arrecadatória. Ele é justo. Enviamos, por exemplo, dois projetos de lei para a Câmara de Vereadores com o objetivo de diminuir taxas tributárias”, revela o secretário municipal de Finanças, André Rosa.

“Nós temos que pensar e trabalhar com justiça fiscal. O prefeito Gustavo Mendanha entendeu que algumas taxas estavam onerando o contribuinte de Aparecida, como por exemplo, a taxa da Vigilância Sanitária”, assinalou.

De acordo com ele, o morador de Aparecida é muito consciente da sua responsabilidade. “Tanto é verdade que a adimplência no município é superior a 80%. Esteve  é um dos itens que nos permite ter essa saúde fiscal”, finaliza André.