“Base aliada” do governo mantém-se em silêncio e omissa: ninguém, exceto a AGM, defendeu Marconi das acusações dos delatores da Odebrecht

Goiás

A base aliada do governador Marconi Perillo, um dos maiores grupamentos políticos já constituídos em Goiás em todos os tempos, mantém-se em comprometedor silêncio e constragedora omissão diante de um episódio de importância capital para o futuro da luta pelo poder no Estado: as delações dos ex-executivos que denunciaram supostas doações a campanhas de Marconi via caixa 2.

Passados mais de 10 dias desde que a lista do ministro Edson Fachin, do STF, foi divulgada e em seguida tornados públicos os depoimentos em vídeo dos delatores, ninguém da base de Marconi deu um pio para defender o governador.

A única exceção veio do prefeito Paulo Sérgio de Rezende, de Hidrolândia, que é do PSDB e preside a Associação Goiana dos Municípios. Paulinho emitiu uma corajosa nota oficial, em nome da AGM, na qual lembrou o comportamento ético do governador ao longo da sua trajetória política e disse confiar na absolvição de Marconi face a todas as acusações.