Caiado quer contrapor influência dos desembargadores “marconistas” no Tribunal de Justiça

Repercute negativamente nos bastidores da OAB-GO o movimento do grupo que controla o comando da entidade para emplacar o nome do secretário-chefe da Casa Civil, Anderson Máximo, na vaga de desembargador do quinto constitucional dos advogados no Tribunal de Justiça, garantida por decisão Supremo Tribunal Federal.

Na visão do núcleo duro do caiadismo, a nomeação de Máximo seria um contraponto necessário à forte influência dos desembargadores considerados “marconistas” no TJ.

O comentário geral é que a classificação do nome de Máximo, que estaria de saída da Casa Civil para fazer campanha eleitoral, na lista sêxtupla da OAB seria produto de uma articulação do governador Ronaldo Caiado com presidente da Ordem, Lúcio Flávio.

A mediação da jogada teria sido feita pela advogada Anna Vitória, filha #01 de Caiado, que apadrinhou a nomeação de um irmão de Lúcio Flávio no governo estadual.