Gomide cobra projeto para UEG: “Ainda não sabemos o que Caiado pensa para a UEG e o que quer fazer com ela”

Coordenador da Frente Parlamentar em Defesa das Universidades Públicas, o deputado Antônio Gomide (PT) usou a tribuna na sessão plenária nesta terça-feira, 28, para cobrar do Governo de Goiás um projeto definitivo para o futuro da Universidades Estadual de Goiás (UEG).

Gomide destacou a atuação da Frente Parlamentar dentro da universidade, através das visitas a diversos campi no Estado e, ainda, comentou sobre a audiência ocorrida na Comissão de Educação, nesta segunda-feira. “Recebemos o reitor da UEG, Ivano Devilla, e ouvimos dele um apelo: que os deputados apresentem emendas para a UEG, mas nós temos uma PEC que vai exatamente nesta direção, com o aumento do orçamento da nossa universidade”, disse o deputado. Gomide é o autor de uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que eleva de 2% para 3% a participação da UEG no orçamento geral do Estado. A PEC atualmente tramita nas comissões técnicas do Legislativo.

“Esta proposta vai ao encontro do que pede o reitor e é também o que a UEG precisa, porque tem um papel importante na vida educacional das cidades”, defende o parlamentar. Ele ainda destacou a manifestação do governo Ronaldo Caiado em fechar unidades em 15 cidades e encerrar cursos. “Ainda não sabemos o que o governo pensa para a UEG e o que querem fazer com ela”, emendou.

O petista citou, também, um artigo publicado nesta semana do deputado Bruno Peixoto (MDB), líder do Governo na Assembleia, a qual – segundo Gomide – “explica tudo o que aconteceu com a UEG, mas não aponta solução. O que precisa é o governo dizer o que quer: investir mais, ampliar cursos ou se fechar as unidades”, encerrou.