(EXCLUSIVO) URGENTE Alô Ministério Público: empresa enrolada na Lavajato e em pagamento de propinas nas Docas de Santos e no Banco do Brasil abocanha contratos milionários de TI no Governo Caiado

Depois da Operação Lavajato,  a corrupção em órgãos públicos migrou das obras de construção civil para o setor de tecnologia de informação, conhecido por TI. Nesta seara, não se consegue mensurar e comparar preços , qualidade, necessidade ou até mesmo se os serviços foram efetivamente prestados.

Em Goiás, uma empresa enrolada em denúncias pesadas de corrupção está abocanhando e monopolizando os contratos milionários de TI em praticamente todos os órgãos do governo estadual, com apoio dos responsáveis pela área, gente com sobrenome famoso, próxima e de confiança da cozinha do Poder.

O nome da empresa: Memora Processos Inovadores, que atua  no mercado associada à Intelit Smart Groip e Intelit Service, conforme o site da ISG Participações. A Memora Processos Inovadores é citada na Operação Lavajato em pagamento de propinas em contrato de R$ 53 milhões no Banco do Brasil

Já a Intelit foi investigada pela Polícia Federal de São Paulo na Operacão, conforme consta de relatório produzido pela Delegacia de Repressão à Corrupção e Crimes Financeiros, assinado pelo delegado da PF Daniel Vilmon Vizicato. Foram cumpridos mandados de prisão, condução coercitiva, busca e apreensão em endereços de São Paulo e outras localidades visando apurar crimes na operação da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp).

A Polícia Federal apurou que a rede da Intelit e empresas do mesmo ramo em fraudes de licitação pode ter desviado valores que superam a casa dos R$ 100 milhões na Codesp. Diretores da Codesp e empresários foram presos e respondem a ação penal. O alvo dos investigadores são empresas de fachada que teriam contratos fictícios usados para pagar propina a agentes públicos.

Veja o relatório da Operação Nereu, deflagrada pela Polícia Federal:

Representac?a?o-01-NER