Talles Barreto diz que Goiás não tem condições formais de ingressar no Regime de Recuperação Fiscal

O deputado Talles Barreto (PSDB) aproveitou a presença do secretário de Governo, Ernesto Roller, para tecer críticas à gestão do governador Ronaldo Caiado. De acordo com ele, houve um acordo entre os poderes para permitir a tramitação do projeto de lei que trata do Plano de Recuperação Fiscal do Estado de Goiás. A matéria em discussão é o processo n. 3353/19, de autoria da Governadoria, que permite a utilização da redução da base de cálculo do ITCD prevista na Lei nº 19.871, de 23 de outubro de 2017, nas situações que especifica.

“Encaminho meu voto favorável à matéria, especialmente na presença importante do ex-deputado Ernesto Roller, homem forte do governo. Caiado esteve na Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ) no início do ano para dizer que não mais haveria conchavos. Mas Roller fica rodeado de deputados, dá um carguinho para um e outro. Isso não poderia acontecer, especialmente depois de uma reunião como a de ontem, na qual o Judiciário, Executivo, Legislativo, Tribunais de Contas e Ministério Público debateram projeto importante como o ingresso de Goiás no Regime de Recuperação Fiscal”, afirmou.

Talles Barreto disse que o governo tem o objetivo de protelar o repasse de recursos para bancos por seis meses para ganhar uma folga de caixa. De acordo com ele, Goiás não tem condições formais para ingressar no Regime de Recuperação Fiscal.

“Esse ingresso de Goiás no Regime de Recuperação Fiscal é uma fraude. Todo mundo viu isso. O governo está querendo é ganhar um respiro por toda a incompetência em tocar o Estado. É impossível Goiás entrar no RRF. Estados em situação mais delicada, como Rio Grande do Sul e Minas Gerais não conseguiram. O único que está é o Rio de Janeiro, que quebrou e afundou. Ronaldo Caiado tem uma bonita história política, que está sendo machada em sua passagem pelo Executivo”, afirmou.