Exclusivo: decretão caiadista de demissões na UEG vai atingir 300 professores e servidores em julho

O mês de julho vai ser de muita choro e tristeza na UEG. Decretão caiadista de demissões na universidade vai atingir 300 professores e servidores em julho, segundo comunicou o reitor Ivano Devilla, em reunião com diretores da instituição na última segunda-feira. Ficou decidido que
vão demitir de forma escalonada a partir de julho, começando com 150 professores, mas não definiram os critérios, pois vão analisar por Câmpus. Os demais seriam desligados no final do ano. A modulação dos temporários para o próximo semestre será com carga horária mínima de 12h em sala de aula, a mesma carga horária dos professores efetivos. Os servidores temporários da limpeza serão terceirizados a partir de julho. E também serão desligados 150 servidores técnicos administrativos temporários em julho.