Depois de medir força com Daniel Vilela para reverter a expulsão dos dissidentes, senador Luiz do Carmo se diz aborrecido e anuncia que vai sair do MDB

O senador Luiz Carlos do Carmo afirmou ao Jornal Opção que faz parte de um grupo político evangélico e está pensando em deixar o MDB para achar um partido que garanta legenda a uma candidatura à reeleição ao Senado. Ele não fala, mas foi derrotado ao medir força com o presidente do MDB em Goiás, Daniel Vilela, e tentar reverter no Diretório Nacional da sigla a expulsão dos prefeitos caiadistas Adib Elias (Catalão), Paulo do Vale (Rio Verde) e Fausto Mariano (Turvânia).

“Pertenço a um grande grupo político, que milita em vários partidos. Eu, o senador Vanderlan Cardoso (PP), os deputados federais Glaustin da Fokus (PSC) e João Campos (PRB) e o deputado estadual Henrique César (PSC, o campeão de votos da eleição de 2018) somos evangélicos, da Igreja Assembleia de Deus. Trata-se de um grupo forte, um dos mais fortes. Tirando o grupo de Ronaldo Caiado, que está no poder, o nosso grupo é dos mais estruturados de Goiás”, relatou

Postulando que está fazendo um “bom trabalho”, atendendo as prefeituras de praticamente todo o Estado, Luiz Carlos do Carmo argumenta que, em 2022, almeja disputar a reeleição para o Senado. “O MDB me dará a vaga? Se não, como posso continuar no partido?” O senador admite que está pensando em deixar o MDB.