Diário de Goiás: Caiado está retaliando prefeitos do MDB, reage Gustavo sobre carta de Iris a Daniel Vilela

Prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha diz que a carta do prefeito Iris Rezende deve despertar mais reflexões no governador Ronaldo Caiado (DEM) do que no presidente estadual do MDB, Daniel Vilela. “Tenho muito carinho pelo prefeito Iris, mas também cobro do governador esta mesma posição que ele cobra do deputado Daniel Vilela”, aponta.

Ele reclama que o governo do Estado não tem tratado de maneira correta os prefeitos emedebistas que apoiaram  a candidatura de Daniel ao governo do Estado. Ele avalia que Daniel tem tido uma postura equilibrada na defesa dos interesses do partido, mas que cabe ao governador descer do palanque e tratar todos os prefeitos de maneira equânime, respeitando os interesses da população.

“Iris Rezende é a maior referência do Estado de Goiás e uma das maiores do País. Tenho respeito pelo prefeito Iris, pela sua história, pela tradição, por tudo aquilo que ele fez por nós. Se eu sou prefeito aqui hoje, nós devemos ao legado de Iris”, frisa.

Para  Gustavo Mendanha a união do partido é importante, mas ressalta que, “o governo que aí está tem nos tratado de uma forma terrível, por não tê-lo apoiado. Ele está cobrando do Daniel uma posição, que poderia cobrar também do governador Ronaldo Caiado, a respeito daqueles prefeitos que não o apoiaram”, salientou o prefeito, durante entrevista ao jornalista Altair Tavares, para a Rádio Bons Ventos FM e ao Diário de Goiás.

Segundo Mendanha, “nos últimos meses temos tentado manter o diálogo. Não votei nele, mas temos muito respeito. A maior parte da população de Aparecida de Goiânia votou nele, e não podemos ser prejudicados por não tê-lo apoiado”, enfatiza.

De acordo com o prefeito, o governador Caiado está retaliando os prefeito emedebistas que marcharam com Daniel. “Tiraram um restaurante popular (de Aparecida) e dizem que podem tirar o Vapt-Vupt. Eu fiz o convite para que estivesse aqui no aniversário da cidade e ele não veio. Acho que temos que ter equidade. Se o governador tratar bem aqueles que não o apoiaram, temos que conversar sim,  temos que dialogar”, pondera.

O entendimento de Mendanha é se o governador não tem dado o tratamento adequado aqueles prefeitos não apoiaram, não seria  ainda o momento adequado  para uma tentativa de aproximação, conforme propõe Iris.  “Não vou falar de outros (prefeitos), vou falar do meu caso: Aparecida não tem sido bem tratada por este governo”, insiste.

Questionado sobre  a situação dos prefeitos emedebistas que apoiaram Caiado, Gustavo Mendanha demonstra que é pelo diálogo. “Eu não sei juridicamente o que pode ser feito, mas poderiam filiar-se novamente no MDB”, frisa, ressaltando que sua posição é em defesa do presidente Daniel Vilela, “que foi candidato a governador e que tem tido uma posição muito firme, mas muito equilibrada. Como prefeito do MDB, como prefeito de Aparecida, não posso ser prejudicado pelo fato de ter apoiado o deputado federal Daniel Vilela a governador”, declara.