Movimento Escola Sem Partido encerra atividades com críticas a Bolsonaro

“Fiz papel de bobo”. É com este sentimento que Miguel Nagib, criador do Escola Sem Partido, anunciou o fim do movimento. Nagib afirma que esperava apoio do presidente Bolsonaro e que o apoio não veio. “Não esperávamos um suporte do governo, mas um apoio político do presidente”. O criador do ESP reclama que banca tudo relacionado oa movimento. 

“Desde a transição, não me lembro de tê-lo ouvido falar mais em Escola Sem Partido. Por alguma razão, o tema sumiu do radar do presidente˜, diz o texto, no qual Nagib reclama não ter sido recebido pelo ex-ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodrigues, e critica o atual gestor da pasta, Abraham Weintraub, por estar mais preocupado em falar do que em ouvir.