Trabalhadores concursados temem exoneração por problemas financeiros em Rubiataba

O prefeito de Rubiataba, cidade do interior goiano, pretende exonerar 50 funcionários, aprovados em concurso público, nomeados em 2016 para conter despesas na folha de pagamento e respeitar a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). José Luiz Fernando (PSDB) diz que a medida é a única alternativa que falta para tentar colocar nos eixos as contas do município, localizado a 220 quilômetros de Goiânia. Os funcionários discordam e apontam outros caminhos para evitar as saídas dos concursados, informa Fábio Alves, do Mais Goiás.

Pegos de surpresa, os 50 funcionários estão, em boa parte dos casos, próximos ao fim período de estágio probatório, que dura três anos, e ficaram sabendo da decisão do prefeito em entrevista a uma rádio local na segunda-feira (15). No outro dia, os trabalhadores organizaram-se e fizeram manifestação pelas ruas da cidade até chegarem à prefeitura.

Ao todo, 18 professores e 32 trabalhadores de serviços gerais, nomeados a partir de 2016, podem perder o emprego. “Todos os funcionários que foram chamados desde agosto de 2016 vão perder seus cargos”, anunciou o prefeito José Luiz Fernandes na Rádio Caraíba.