Redação do Popular vive clima de apreensão e perplexidade com ataque do caiadismo ao jornal

A redação de O Popular, veículo de comunicação do Grupo Jaime Câmara, vive clima de apreensão e perplexidade com o ataque do governo Ronaldo Caiado contra o jornal e a liberdade de imprensa neste domingo, 11.

Por determinação direta de Gracinha Caiado, com a anuência do governador, a Secretaria de Estado de Comunicação enviou ao jornal uma nota virulenta em resposta à publicação de foto, no sábado (10), em que a primeira-dama aparece saindo do jato Dessault Falcon, de propriedade de traficantes de drogas, apreendido durante a Operação Ícarus da Polícia Civil.

Entre editores e repórteres, a percepção geral é a de que há “extremo exagero” na resposta do governo. Para os caiadistas, a foto é “desrespeitosa” e “ultrajante”. De fato, a reação parece estar muitos tons acima do necessário, estabelecendo uma ordem de raciocínio que vai muito além do que está escrito.

“Qualquer tentativa de relacionar o tráfico de drogas e seus esquemas a integrantes desta gestão, e mesmo a mera insinuação de que se esteja fazendo uso desses bens, é uma afronta ao bom jornalismo e ultrapassa os limites da liberdade de imprensa, que precisa ser exercida com responsabilidade”, diz o texto da nota, publicada na sessão de cartas de O Popular.