Parada do Orgulho LGBTI de Goiânia terá tom de política e memória, com protestos contra Bolsonaro e Damares

A XXIV edição da Parada do orgulho de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Intersexuais – LGBTI de Goiânia acontecerá no próximo dia 8 de, a partir das 12h, na Praça Cívica da Capital. O tema deste ano é “50 anos da Revolta de Stone Wall Inn. Mais Democracia e direitos”.
A Organização está a cargo da Articulação das ONGs LGBTI de Goiânia – ARTONG, formada pela Associação das Paradas de Goiânia e Goiás, Grupo Eles por Eles, Forum de Transexuais de Goiás e Associação de Cidadania e Direitos Humanos. A manifestação conta com o apoio da Secretaria Municipal de Direitos Humanos da Prefeitura de Goiânia.
A ARTONG pretende premiar instituições e pessoas que contribuíram com a luta LGBTI, nos últimos 365 dias, entre elas o STF, por ter equiparado a homofobia e transfobia ao crime de racismo, além de vereadores que votaram a favor do projeto do conselho municipal LGBT, entre outros parceiros que ajudam na luta contra o preconceito e discriminação sofridos diariamente por 150 mil homossexuais e trans que vivem na Capital.
Ao mesmo tempo a parada vai comemorar os 50 anos da Revolta do bar Stone Walll in, que representa um marco no movimento LGBTI. Em 28 de junho de 1969 , um grupo de travestis, transexuais, gays e lésbicas não aceitou mais a extorsão e agressão feita pela polícia num bar da comunidade e
Partiu pro enfrentamento nas ruas. A data é lembrada como o dia do orgulho LGBTI .
Os organizadores esperam também muita manifestação contrárias ao governo Bolsonaro tendo em vista que ele é visto pela comunidade como alguém que está fomentando o discurso de ódio e preconceito contra os LGBTI . A ninistra Damares também deverá receber contrariedade na parada, tendo em vista que acabou com o Conselho e Conferência Nacional LGBTI e vem empoderando homofóbicos e transfóbicos na pasta que controla.
Em Goiânia, a primeira parada foi realizada há 24 anos, com nove gays na Praça Universitária e a última edição já contava com quase 100 mil participantes. Na sexta-feira, 6 de Setembro, a ARTONG realizará no estacionamento do Mutirama a Feira Cultural com apresentações artísticos- culturais de LGBTI relembrando os 24 anos de parada e cobrando o fim da homofobia e transfobia.
Todos os sábados das 15 as 17 horas, os voluntários da parada estão se reunindo no centro cultural Ouro para organizar as diversas alas da manifestação : Direitos Humanos da Diversidade, Mães pela Diversidade, Homens Trans, Não é Não, Mulheres Transexuais e Travestis, Adolescentes e jovens LGBTI, Lésbica se Bissexuais, Igrejas Inclusivas, Sem terra LGBT, entre outros.
Além da carreta oficial, outros quatro trios de médio porte desfilarão pelas avenidas Araguaia, Paranaíba e Tocantins. A concentração está prevista para as 12h, as falas políticas ocorrerão a partir das 14h, e a caminhada as 15h30, com previsão e chegada final as 18h30 e dispersão até as 22h.